Gatinhos Persa

A História desta raça tem inicio no século XVI, quando um viajante italiano chamado Pietro Della Valle passou pelaPérsia (atual Irão) e trouxe consigo alguns dos belos gatos que andavam pelas ruas locais.
Ao chegar a Itália, imediatamente esses gatos ganharam a simpatia das pessoas devido a sua pelagem macia e brilhante.


A primeira descrição precisa da raça aparece no livro de historia natural de Georges Louis Bufon (1707-1788), e a primeira exposição de felinos foi organizada em 1871 por Harrison Weir, no palacio de cristal em Londres, onde participaram a Rainha Vitoria e o Principe de Gales como proprietarios e expositores de gatinhos persas.


Em 1910 foi criado em Inglaterra o "Governing Concil of the Cat Fancy of Great Britain", quando foram estabelecidos os primeiros padroes da raça, sempre ocupando uma posição destaque dentro da Aristocracia Felina.


Logo em seguida foi feito um trabalho de melhoramento genético visando obter-se uma maior variedade de cores e padrões de pelagem.


Há hoje mais de 100 diferentes combinações de cores para gatos desta raça, variando desde o branco neve, como o Piluças, até ao malhado (casco de tartaruga), girissimo por sinal.


Os persas são gatos muito procurados por pessoas que vivem em espaços pequenos, como apartamentos, porque miam pouco, e apresentam um forte apego ao seu dono. É extremamente sereno e afectuoso, interagindo mt bem com outras raças e até com cães. É também muito tolerante com as crianças.

Ele pode permanecer por horas deitado no seu lugar favorito, o piluças adora estar deitado na mala do computador portatil, parece que não esta a prestar atenção ao que o rodeia, mas nunca perde a aura de aristocrata que tantas pessoas admiram.

Os persas adoram caricias e todas as expressões de carinho e raramente mostram as garras, mas engane-se quem acha que eles adoram estar no colo.


Estes gatinhos caracterizam-se pela pelagem comprida e sedosa, com umacabeça grande e redonda, orelhaspequenas e arredondadas com tufos de pelo no interior, olhos grandes e redondos de coloração vívida e patas curtas, porémmusculosas. O padrão comum da raça apresenta focinhos achatados (flat face), porém alguns gatinhos possuem focinhos um pouco mais alongados (doll face).


A manutenção de sua pelagem é um desafio, sobretudo devido a formação de nós ocorridos devido ao comprimento dos pelos. Mas ao ver o resultado dos cuidados prestados, sentimos uma enorme gratificação, alem de que o gatinho reconhece esse cuidado. É de salientar que estes gatinhos são muito vaidosos...
O padrão de uma raça é determinado pelas associações que a representam.


Assim sendo, existem pequenas variações de associação para associação. Abaixo podemos ver o padrão da FIFe (Federação Felina Internacional).

Tamanho: Médio a Grande - Os machos são maiores que as fêmeas, pesando de 4 a 5 kg, (o Piluças tem 6 KG) e as fêmeas de 3 a 4 kg.

Orelhas: Pequenas, arredondadas nas pontas e bem separadas.

Nariz: Achatado, Curto, Largo, com stop bem definido, situado entre os olhos e entre as pálpebras superiores e inferiores, nariz não arrebitado. As narinas devem ser bem abertas.

Corpo: De estrutura compacta, patas curtas, peito largo, ombros e dorso maciços, bem musculosos, de comprimento curto e formato quadrado.

Rabo: De comprimento curto, dobrado sobre o dorso fica entre a nuca (muito longo) e o meio das costas (ideal).

Pescoço: Curto e forte.

Cabeça: De formato redondo, maciça, bem equilibrada, crânio largo. Testa arredondada, bochechas cheias.

Pelagem: Comprida, densa , de textura fina, brilhnate e sedosa (sem ser lanosa). Longa, espessa e abundante, espalha-se por todo o corpo incluindo ombros, formando uma juba imensa e comprida que desce por entre as pernas dianteiras.

Olhos: Grandes, redondos e simétricos, bem separados, dando a face uma expressão mais aberta. De cor sólida, brilhante. Lindos

Patas: Grandes, redondas, sendo desejável tufos de pelos entre os dedos. Cinco dedos nas patas da frente e quatro nas de traz.

Normalmente, nessa raça a cor branca associada a presença de olhos azuis está geneticamente relacionada a problemas de audição no animal. Os gatos brancos com apenas um dos olhos azuis pode ser surdo de apenas um ouvido, enquanto que os espécimes com ambos os olhos azuis acabam não possuindo nenhuma audição.

O Piluças tem olhos cor Ambar, como a mãe (eu).

terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

Miss you.... Miss me...

Miss you... miss me...


Abracei esta vida de aventuras em 2012, quando resolvi deixar o meu canto no Porto para me juntar ao caos cosmopolita e multucultural da cidade de Londres. Desenvolver uma nova lingua em formato "técnico", Tecnicas de comunicação verbal e não verbal adaptadas a um povo sem etnia mas nada mediterrânico com uma visaõ sobre um mundo e uma realidade nada equiparada à minha. 
Deixei para trás o cheiro a mar, o café e a minha casa na primeira linha de praia. Eu não vim a procura de um futuro, eu vim em busca de um presente. Aquele "chamamento" intemporal que ninguem me poderá tirar, porque é só meu, chamado VIDA, me moveu daquele cantinho na Agudela para esta mundo regado de gente como eu. Chamar-lhe-ia "open mind" à uns anos atrás.... neste momento chamar-lhe-ei "fucking genious.



Mas mesmo nos mais belos jardins encontramos espinhos.... Poderei dizer que a saudade traiu-me. 
O Piluças, o meu gato, aquele grande companheiro já não estava ali, para viver esta grande aventura comigo. Senti que o estava a trair. Senti que estava a trocar a sua curta vida pelo meu egoismo. 
Aprendi com isso que os animais amam, e amam muito. Com a minha ausencia iniciou comportamentos depressivos. Miar toda a noite, isolamento e rejeição foram os mais marcantes.
O seu comportamento apenas retornou à normalidade após ver-me novemente e perceber que eu não o tinha abandonado. Como eu gostaria de perceber os seus pensamenos, os seus raciocinios puros e inocentes, vazios de manhas e interesses, pureza interdita ao animal dito racional, mas abundante na mãe natureza.

A felicidade do Piluças quando me viu, ao fim de três meses quando finalmente regressei a casa naquele natal, era transparente, imaculada e radiante naqueles olhos ambar. Nunca irei esquecer aquele minuto ... quando aqueles olhinhos olharam para mim.
Senti que a felicidade pode resumir-se a um breve momento como abraçar o meu gato naquela noite.
 
As grandes ausencias e coisas importantes que deixei para trás, é o preço alto que pago para que possa viver sonhos e completar passos largos. Nem sempre a liberdade liberta, mas nem sempre o amor é suficiente. A necessidade de sair do casulo transborda as margens de um rio que grita por corrente, quando as barragens já não seguram as àguas paradas. 

Anseio por novas aventuras, nas quais poderei leva-lo comigo. Até lá, tenho a certeza que está protegido e feliz.