Gatinhos Persa

A História desta raça tem inicio no século XVI, quando um viajante italiano chamado Pietro Della Valle passou pelaPérsia (atual Irão) e trouxe consigo alguns dos belos gatos que andavam pelas ruas locais.
Ao chegar a Itália, imediatamente esses gatos ganharam a simpatia das pessoas devido a sua pelagem macia e brilhante.


A primeira descrição precisa da raça aparece no livro de historia natural de Georges Louis Bufon (1707-1788), e a primeira exposição de felinos foi organizada em 1871 por Harrison Weir, no palacio de cristal em Londres, onde participaram a Rainha Vitoria e o Principe de Gales como proprietarios e expositores de gatinhos persas.


Em 1910 foi criado em Inglaterra o "Governing Concil of the Cat Fancy of Great Britain", quando foram estabelecidos os primeiros padroes da raça, sempre ocupando uma posição destaque dentro da Aristocracia Felina.


Logo em seguida foi feito um trabalho de melhoramento genético visando obter-se uma maior variedade de cores e padrões de pelagem.


Há hoje mais de 100 diferentes combinações de cores para gatos desta raça, variando desde o branco neve, como o Piluças, até ao malhado (casco de tartaruga), girissimo por sinal.


Os persas são gatos muito procurados por pessoas que vivem em espaços pequenos, como apartamentos, porque miam pouco, e apresentam um forte apego ao seu dono. É extremamente sereno e afectuoso, interagindo mt bem com outras raças e até com cães. É também muito tolerante com as crianças.

Ele pode permanecer por horas deitado no seu lugar favorito, o piluças adora estar deitado na mala do computador portatil, parece que não esta a prestar atenção ao que o rodeia, mas nunca perde a aura de aristocrata que tantas pessoas admiram.

Os persas adoram caricias e todas as expressões de carinho e raramente mostram as garras, mas engane-se quem acha que eles adoram estar no colo.


Estes gatinhos caracterizam-se pela pelagem comprida e sedosa, com umacabeça grande e redonda, orelhaspequenas e arredondadas com tufos de pelo no interior, olhos grandes e redondos de coloração vívida e patas curtas, porémmusculosas. O padrão comum da raça apresenta focinhos achatados (flat face), porém alguns gatinhos possuem focinhos um pouco mais alongados (doll face).


A manutenção de sua pelagem é um desafio, sobretudo devido a formação de nós ocorridos devido ao comprimento dos pelos. Mas ao ver o resultado dos cuidados prestados, sentimos uma enorme gratificação, alem de que o gatinho reconhece esse cuidado. É de salientar que estes gatinhos são muito vaidosos...
O padrão de uma raça é determinado pelas associações que a representam.


Assim sendo, existem pequenas variações de associação para associação. Abaixo podemos ver o padrão da FIFe (Federação Felina Internacional).

Tamanho: Médio a Grande - Os machos são maiores que as fêmeas, pesando de 4 a 5 kg, (o Piluças tem 6 KG) e as fêmeas de 3 a 4 kg.

Orelhas: Pequenas, arredondadas nas pontas e bem separadas.

Nariz: Achatado, Curto, Largo, com stop bem definido, situado entre os olhos e entre as pálpebras superiores e inferiores, nariz não arrebitado. As narinas devem ser bem abertas.

Corpo: De estrutura compacta, patas curtas, peito largo, ombros e dorso maciços, bem musculosos, de comprimento curto e formato quadrado.

Rabo: De comprimento curto, dobrado sobre o dorso fica entre a nuca (muito longo) e o meio das costas (ideal).

Pescoço: Curto e forte.

Cabeça: De formato redondo, maciça, bem equilibrada, crânio largo. Testa arredondada, bochechas cheias.

Pelagem: Comprida, densa , de textura fina, brilhnate e sedosa (sem ser lanosa). Longa, espessa e abundante, espalha-se por todo o corpo incluindo ombros, formando uma juba imensa e comprida que desce por entre as pernas dianteiras.

Olhos: Grandes, redondos e simétricos, bem separados, dando a face uma expressão mais aberta. De cor sólida, brilhante. Lindos

Patas: Grandes, redondas, sendo desejável tufos de pelos entre os dedos. Cinco dedos nas patas da frente e quatro nas de traz.

Normalmente, nessa raça a cor branca associada a presença de olhos azuis está geneticamente relacionada a problemas de audição no animal. Os gatos brancos com apenas um dos olhos azuis pode ser surdo de apenas um ouvido, enquanto que os espécimes com ambos os olhos azuis acabam não possuindo nenhuma audição.

O Piluças tem olhos cor Ambar, como a mãe (eu).

domingo, 4 de julho de 2010

Bobby e Tareco...como viver juntos...

-->Se Já tem um cão…mas quer um gatinho…

Em alguns casos até é simples a convivência entre cães e gatos, noutros é mais complicado, mas se tomar as decisões certas, com algum trabalho e paciência, não é impossível.
Se já tem um cão e pensa adoptar um gato, considere o seguinte:
1.       Adopte, se possível um gatinho bebe;
2.       Se adoptar um gato adulto, certifique-se que não é agressivo, não bufa nem foge a correr;
3.       O gatinho deverá ser sociável, se for medroso vai tornar o trabalho muito complicado;
4.       Após o período de adaptação, o dono deve proporcionar ao gato locais a que só ele poderá aceder, para que se possa isolar e manter-se seguro.
Período de Adaptação
Quando se leva um gatinho bebe ou adulto para casa, não de se deve colocar imediatamente junto com o cão, independentemente de este ser adulto ou cachorro. Eles devem ficar separados nos primeiros dias. O gato necessita de tempo para se ambientar comiopletamente ao local, cheiros, ruídos. O gato poderá ouvir os barulhos que o cão faz a caminhar e ladrar, o que fará com que se familiarize com estes.
Primeiros contactos
O gato determinará o tempo necessário para se adaptar a nova família. No inicio o cão e gato devem ver-se através de uma janela ou vidro. Nos primeiros contactos o gato poderá olhar e fugir, o que é natural. Se passados vários dias o gato continua a fugir, poder-se-á colocar perto da fronteira cão-gato, atum para que ele se aproxime para comer. Se necessário coloque a comida mais afastada e gradualmente vai se aproximando a mesma da fronteira.
Evite que o cão ladre para o gato, para que o gato não se assuste. Deve-se recompensar o cão com comida se o cão aprender a não ladrar, rosnar ou pular quando vê o gato. Na realidade ensinar o cão e ignorar o gato, faz parte do processo de conseguir ter os dois animais a viver em harmonia. Quando o cão ignora o gato, este como é curioso, vai investigar o cão e vai tornar a aproximação positiva.
Para colocar os bichinhos na mesma divisão, dever-se-á escolher uma divisão não muito grande, para que o gato não tenha tendência a correr desencadeando no cão a tendência para a perseguição. Deverá colocar a trela no cão e deixar o gato solto, se o gato não for agressivo. Coloque comida para o gato num sitio alto, a partir do qual o gato possa ver o cão e se sinta seguro. Com o cão com trela, recompense com comida sempre que ele estiver calmo e controlado perto do gato. Não se deverá deixar comida a mercê dos bichinhos, para se poder usar estes exercícios para os alimentar, associando a refeição à presença do outro animal e a algo positivo. Quando o gato e cão estiverem mais interessados em comer, do que um no outro, comece a dar a refeição do gato no chão e em simultâneo com o cão mantendo-o sempre de trela, reforçando a presença de um com o outro. Se o cão cheirar o gato, dever-se-á recompensar ambos, pois ao faze-lo esta a passar uma mensagem que interacções positivas e controladas são recompensadas.
O que Nunca de deve fazer
Nunca se deve castigar os bichinhos por mostrarem sinal de desagrado como rosnar ou bufar. Se punirmos o cão ou gato por manifestar estes comportamentos, estaremos apenas a suprimir o sinal comunicativo e não a resolver o problema que realmente provoca estes sinais. Se o gato bufar é porque o cão está muito perto. Não se deve forçar o relacionamento, porque isso pode provocar comportamentos de fobia ou agressividade entre ambos.
Não se deve permitir que o cão, independentemente da raça, persiga o gato. Este tipo de relacionamento não é saudável e não deve ser promovido, apesar de normal no cão, causa stress e medo ao gato. Se o cão persegue os gatos, os donos têm a responsabilidade de o ensinar a ter outro comportamento.
Assim já pode ter um Tareco e um Bobby em casa.